Manipular fitas DDS (DAT) no Linux


Hoje, vou deixar um post sobre manipulação de fitas DDS no Linux. Lembrando que fitas DDS são conhecidas como fitas DAT.

Após eu ter ganhado a tarefa de planejar o backup de alguns servidores aqui no meu serviço para dentro destas fitas, acabei recolhendo um material na net e vou postá-lo aqui.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

O que você deve saber sobre estas fitas:

– Fitas DDS (DAT) são gravadas de forma sequencial e portanto não é possível gravar um arquivo e depois gravar outro em seguida, pois o último irá sempre sobrepor o anterior.

– Quando você usa outros dipositivos SCSI, o dispositivo de fita também irá entrar na controladora SCSI e por isso ela também precisará de um ID, assim como os HDs SCSI conectados na sua máquina.

Na inicialização do computador irá aparecer alguma mensagem do tipo “Reconhecendo dispositivos SCSI” ou “Scanning for SCSI devices” e logo após suas detecções, serão mostrados os modelos destes periféricos junto como seus respectivos IDs. Por isso é bom lembrar que atrás de sua gravadora SCSI contém uma alavanca ou qualquer outra coisa que possa identificar o seu ID e também por ali é possível alterar o ID desta gravadora.

Após se certificar de que foi reconhecida a sua gravadora na inicialização, verifique ela está no seu /dev efetuando o comando ls /dev:

Identificando dipositivo de gravação no /dev . Na imagem, a gravadora DAT se encontra em /dev/st0

Listando dispositivo de fita DAT no /dev

Listando dispositivo de fita DAT no /dev

Seguem abaixo os principais comandos para manipulação de fitas DDS(DAT) no Linux:

Para formatar a fita DAT:

# mt -f /dev/st0 erase

Para rebobinar a fita DAT

# mt -f /dev/st0 rewind

Para voltar a fita e ejetar:

# mt -f /dev/st0 offline

Para mostrar o status da fita:

# mt -f /dev/st0 status

Para ejetar a fita DAT:

# mt -f /dev/st0 eject
# eject /dev/st0 (2ª opção)

Para compactar e gravar todos os arquivos da pasta sistema na fita DAT.

# tar -cv -T /home/rede/sistema/* -f /dev/st0

Para gravar arquivos na fita dat:

# tar -cvf /dev/st0 nomedoarquivo

Para extrair arquivos da fita dat:

# tar -xvf /dev/st0

Para extrair arquivos específicos da fita como no exemplo abaixo:
(obs: o diretório raiz que está gravado na fita não pode
conter “/” antes do seu nome. Tem de estar como em “home” abaixo:)

# tar -xvf /dev/st0 home/analucia/pauta.doc

Para gravar na fita dat acessando de outra máquina:

# tar cf – /arquivosqueeuqueronobackup | ssh maquinaremota “dd of=/dev/st0”

Para ejetar a fita dat de outra máquina:

# ssh <maquina remota> ‘dd if=/dev/st0’ | tar xvf –

Para ler o conteúdo da fita DAT:

# tar -tvf /dev/st0

Exemplo de backup de um diretório gravando a lista de seu conteúdo em um log:

# tar -cvf /dev/st0 /home >> /root/bkplog/BACKUP_GERAL.log

fonte: https://mastigado.wordpress.com

Sobre Mastigado
Sou um daqueles que precisa mudar o mundo.

4 Responses to Manipular fitas DDS (DAT) no Linux

  1. Luiz Carlos Gonçalves disse:

    Cara, seu post foi demais. Me ajudou muito. Estou instalando um ubuntu em um Dell R410 com uma unidade de fita LTO4, testei alguns comandos e deu certinho. Valeu!!!

    Curtir

    • Mastigado disse:

      Pô meu caro, valeu. No dia em que tive de instalar esta fita dei uma “ralada” para pegar a manha, por isso achei que deveria compartilhar.

      Curtir

  2. Carlos disse:

    Obrigado, foi de grande ajuda!!
    Abraço

    Curtir

    • Mastigado disse:

      Muito obrigado meu amigo. Abração para você também.

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: