Configurar Debian Wheezy ou Jessie junto com o Windows após ter feito dual boot(e personalizando)


Olá pessoal! Happy new year! \o/

Bem gente, este post vai para quem precisa instalar Windows e Linux juntos no mesmo computador, seja ele pc, note ou netbook. Alguns podem até dizer assim “tira o Windows e deixa só o Linux” e é exatamente isso o que tenho feito em todos os meus pcs, mas(este mas é f***), por vezes precisamos instalar um SQL Server, um 3DS Studio Max, um Visual Studio para fazer testes e programar porque você é um profissional e sabe que não dá para ficar emulando isso no Wine. Por mais que a Microsoft tenha aberto o código do C#, programar na IDE do Mono não é a mesma coisa que no Visual Studio. Enfim, vamos  lá, vamos fazer o que né? Instalar o Linux no dual boot.

fonte: http:mastigado.wordpress.com

Para acessarmos as partições do Windows pelo Linux gravando, lendo e sendo feliz.

Eu não vou explicar para que serve o arquivo fstab porque o meu objetivo aqui é apenas mostrar a configuração que eu fiz para que você possa acessar sua partições que estão no Windows e no sistema de arquivo NTFS. O que você precisa saber sobre o arquivo fstab do Linux é que é nele que deixamos montadas as partições e unidades removíveis que estão permanentes no sistema operacional. Mesmo que isso seja uma explicação grosseira sobre o belo fstab é isso aí mesmo.

1 – Você tem que descobrir onde estão as unidades do Windows que você quer mapear no Linux. Uma das maneiras é utilizar o comando ls no diretório /dev, que é praticamente onde ficam todos os dispositivos físicos conectados no Linux. Você deve listar o diretório desta forma:

ls /dev

barradevMas neste caso acima, eu já sei que minhas partições do Windows são as unidades sda2 e sda3 porque quando fiz meu particionamento manual na instalação do Debian eu vi que elas estavam lá, mas caso você ainda tenha dúvida, você pode usar o navegador de arquivos e mesmo que ele não permita que você monte os seus arquivos, ele diz para você onde estão e quem são estas partições só pelo fato de você clicar sobre elas:

navegadorarquivosNo caso acima ele não deixou eu montar como usuário comum e sim somente como root. Bem, quanto a montar unidades manualmente na linha de comando eu não vou falar aqui porque é assunto para outro post, entretanto, esta é outra maneira de você poder ver a mensagem de erro que me informou onde está e quem é a minha unidade, daí para jogá-la no fstab é um pulo. Lembrando que também existe mais uma forma de se permitir visualizar e alterar as unidades (inclusive montar as partições manualmente), que é utilizar um aplicativo chamado Utilitário de Unidades(Disk Utility). E para dizer como este aplicativo é maravilhoso, vou fazer uma breve descrição sobre ele(portanto se quiser pular este mini texto, pode pular, pois tô fugindo do tema).

Utilitário de Unidades ou Disk Utility(nas versões em inglês)

O Utilitário de Unidades serve tanto para visualizar, quanto montar, desmontar, criar e recriar partições e inclusive formatá-las em vários tipos de sistema de arquivos. Ele também mede o desempenho da unidade fazendo benchmark e traz dados sobre seus dispositivos que só softwares do fabricante fariam, fora que se seu hd estiver bichado, ele avisa, portanto aqui vai um recado de coração sobre este detalhe, se o o Utilitário de Unidades(Disk Utility) algum dia avisar para você que algum hd que você plugou está bichado ou possui algum problema, mesmo que você ache que está tudo bem pelo fato de você tê-lo há anos ou ter comprado na semana passada, troque o hd sem choro(simplesmente compre um novo, faça o backup e use este hd somente para coisas que você sabe que não tem importância de serem perdidas, como temporadas de novelas da Rede Globo ou aquelas fotos do ano novo que você tira enquanto tá rolando a queima de fogos e que depois você nunca mais vai ver(porque quem tava lá era câmera fotográfica e não você, então não é importante porque você não se lembra)).

2 – Certifique-se de que você tem o pacote nffs-3g instalado, senão você tem que instalá-lo(caso seja outra distribuição Linux que não seja baseada em Debian) ou também instalá-lo se for um Debian, mas com o gerenciador de pacotes apt-get:

apt-get install ntfs-3g

Se ele disser que já está instalado, melhor.

3 – Crie as pastas onde ficarão mapeadas as suas unidades

Por padrão no Debian todos os dispositivos que são montados ficam na pasta /media, portanto recomendo criar as pastinhas para mapear estas unidades do Windows lá dentro. Existem distribuições que mapeam na /opt, outras como as baseadas em rpm mapeiam na /mnt, mas você pode criar até na sua home se quiser, mas isso se você quiser entendeu? Porque eu não quero. Então, dê aqueles comandos básicos:

mkdir /media/WINDOWS

mkdir /media/OUTRAPARTICAO

Depois, dê uma permissão de leitura e escrita recursiva para todos (donos, grupos e outros), assim você evita problemas futuros:

chmod 777 -R /media/WINDOWS

chmod 777 -R /media/OUTRAPARTICAO

4 – Finalmente abra o seu arquivo fstab

Agora, o mais bonito disso é, poderíamos ter vindo direto para cá sem passar por todas as etapas acima. Mas sabe como é… é bonito ver as pessoas lendo e se informando. Pois bem, entre no terminal, se logue como root e abra o fstab com o editor de texto Nano:

nano /etc/fstab

E cole estas duas linhas no final do arquivo:

/dev/sda2                              /media/WINDOWS                             ntfs defaults,               umask=000            0 0
/dev/sda3                              /media/OUTRAPARTICAO                 ntfs defaults,               umask=000            0 0

Pronto! Agora reinicie o seu pc e seja feliz. E lembre-se, se não funcionar, alguma coisa errada você fez e a culpa tenderá a ser sua, porque fiz minha parte.

Para acessarmos os mapeamentos do Samba no Linux:

Meu caro, a galera acessa os compartilhamentos do Samba na maioria das vezes pelo Windows, mas se esquece que dá para fazer isso também no Linux. Claro, onde você deve montar estas unidades? No fstab, é claro!

É parecido com o que fizemos para mapear as unidades no Windows, mas mudam algumas coisas já que existem outros parâmetros como login e senha por exemplo. Antigamente utilizávamos o pacote smbfs, só que ele caiu em desuso e agora é um utilizado o cifs, que mudou algumas configurações, mas no final faz a mesma coisa. O procedimento é o mesmo do mapeamento do Windows, primeiro você coloca o local que quer mapear (lá em cima foi uma unidade e aqui será um ip junto com o nome do mapeamento Samba) no computador remoto que deseja acessar. Lembrando que eu criei as pastas XUXACOMBLUSATRANSPARENTE e SOPARABAIXINHOS dentro do /media e com suas devidas permissões:

//192.168.25.120/XUXACOMBLUSATRANSPARENTE   /media/XUXACOMBLUSATRANSPARENTE       cifs      auto,defaults,file_mode=0777,dir_mode=0777,rw,username=usuariosamba,password=senha  2 1
//192.168.25.120/SOPARABAIXINHOS /media/SOPARABAIXINHOS cifs auto,defaults,file_mode=0777,dir_mode=0777,rw,username=usuariosamba,password=senha 2 1

Se você prestar atenção na linha cima, verá que há uma falha de segurança exposta, pois estou passando login e senha num arquivo que vai ficar gravado sem criptografia alguma e isso é extremamente falho. Existe outro método de mapeamento de unidades Samba em que você coloca o login e a senha em um arquivo separado e criptografado para ninguém acessá-lo. Portanto entenda que qualquer um que tenha pelo acesso temporariamente ao modo gráfico do Linux ou que tenha um cd de boot de Linux pode dar dois cliques em cima do fstab, digitar more /etc/fstab, entre outras loucuras mais exóticas, mas que sempre estará com o intuito de descobrir o seu login e senha. Então pense bem antes de implantar isso na sua empresa desta maneira. Não seja irresponsável achando que ninguém entende de Linux ou informática lá dentro.

Para instalarmos o Cairo-Dock(aquele dock do Mac que fica lá embaixo da tela):

Meus caros, trabalhar com o Cairo Dock no Gnome 3 para mim é um adianto. Não por causa do seu visual, mas porque eu não curto este negócio de ficar clicando num menu e ter de digitar o que estou procurando. Não, isto não funciona comigo, pois eu encontro melhor as coisas por nível de hierarquia(com o que está dentro de que). Imagine só, sei que no Painel de Controle do Windows contém Adicionar ou Remover Programas, Configurações de Rede e tudo mais, mas para um usuário que nunca usou o computador ou aquele usuário que já esqueceu como chegar nas coisas ou melhor, esqueceu o nome das coisas(como eu esqueço constantemente), como é que eu vou buscar algo que nem sei o nome? E o pior, nem sei onde está! Já basta o que a Microsoft fez com o menu Iniciar do Windows 8, que certamente por vezes torna mais ágil a busca, mas que para mim que não quer ficar digitando toda a hora porque tenho o mouse para fazer certas tarefas, não funciona. Observe os sistemas MAC-OS X da Apple e veja que ela coloca os seus atalhos por digitação dentro de Maçã > Preferences, mas a mesma mantém o dock com os atalhos para serem acionados pelo mouse. Então Microsoft, vá com sua tentativa de criar tendências para a PQP! E pessoal que fez o Gnome 3, eu amo vocês e fico grato por deixarem eu por meu Cairo Dock lá embaixo. Então instale o bicho:

apt-get install cairo-dock

E neste cara há duas configurações para serem feitas. Uma para caso você utilize o OpenGL e outra para caso você não utilize. Mas vale também lembrar que a configuração de aplicativos que iniciem no sistema do Debian Whezzy é diferente da do Jessie. E para isso, mostrei como se faz nos dois casos.

Caso você esteja utilizando o Debian Whezzy

Após instalado, você deve colocá-lo para iniciar automaticamente toda a vez em que você liga o seu pc. Para isso, vá em Aplicativos de Sessão(geralmente fica dentro de Sistema > Preferência > Aplicativos de Sessão) e crie um novo item colocando os parâmetros abaixo.

cairo_aplicativos_de_sessaoO curioso é que o Cairo pede que você que você coloque o parâmetro -o no comando cairo-dock no caso se você for usar o Cairo com OpenGL e -c para caso você não tiver suporte à OpenGL. Então neste caso o comando ficaria cairo-dock -o, mas mesmo eu configurando deste jeito, depois de algumas atualizações percebi que ele tirou este “-o” do meu aplicativo de sessão, Então fica deste jeito aí mesmo.

Se você procurar por Cairo Dock em janelas e aplicativos, quando você clicar nele, irá ver a seguinte mensagem:

cairo_dock_aviso

Como eu suponho que utilizo OpenGL deixo o -o no parâmetro de configuração. Dou um sim na escolha e eis que surge:

desktop_com_cairoMas lembre-se que para ele sempre inicializar com o seu sistema operacional configure-o nos aplicativos de sessão.

Caso você esteja utilizando o Debian Jessie

Ficou muito mais fácil de se colocar um aplicativo na inicialização do sistema. Vá em Sistema > Preferências > Ferramentas de Ajustes e pronto! Na janela que se abrirá clique no menu Aplicativos de inicialização, depois no + e escolha o aplicativo que desejar iniciar junto ao sistema.

aplicativos_de_inicializacao

Ah! Vou deixar também uma observação sobre os temas do Cairo. Aconselho que se você quiser alterar as configurações dos ícones do Cairo a não alterar as suas configurações de tema, pois eu achei meio bugado, a ponto de não conseguir voltar novamente para o tema que queria. Aconselho você instalar os dois pacotes abaixo via terminal:

apt-get install gnome-themes

apt-get install gnome-themes-extras

E depois ir em Configurações Avançadas, escolher a opção relacionada a tema e lá escolher o tema dos ícones porque terá o mesmo efeito caso você tivesse alterado a configuração de tema do Cairo Dock.

Para habilitar o clique duplo do mouse pad que vem desabilitado no Debian(sei lá porquê!):

Caras, este aqui é um caso peculiar. Eu sempre observei que a Microsoft copiava a Apple DESCARADAMENTE, até aí tudo bem porque eles não tem originalidade mesmo(ou não tinham até o Steve Jobs morrer e eles terem de se virar para inventar coisas ou só continuar copiando o Linux como eles já faziam), mas eu andei lendo alguns posts que a galera do Linux passou a copiar a Apple no intuito de trazer os usuários de MAC para o Linux. Olha, eu posso dizer que existem vários distros bem parecidas com o MAC, mas existe uma tal de Elementary OS que putz! Eu achei que fosse um MAC quando vi rodando num note branquinho na minha frente. Tem um post do Viva o Linux que fala sobre algumas distros parecidas(http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Tres-distros-inspiradas-no-Mac-OS). Mas voltando ao nosso tema, eu acho que galera do Linux sugou tanto a interface da Apple que para alterar as configurações do Note eles copiaram o Preferences do MAC OS X e disseram que é Configurações do Sistema no Gnome 3.

configuracoes_do_sistemaMeu, show de bola!Fica mais intuitivo e tal, ajuda pra caramba, mas é cópia e eu gostei assim mesmo. Agora, eu ainda acho que a galera do “terminal” ainda não percebeu isso e se você for procurar na net sobre como habilitar os cliques do touchpad do Notebook, você deverá encontrar um monte de caras mandando você instalar pacotes e alterar o arquivo xorg.conf e por aí vai.

Veja bem, na tela acima clique em Mouse e touchpad, em seguida na tela que se abrirá, clique na aba Touchpad e em Habilitar cliques do mouse com touchpad e pronto.

touchpad_linux

Para habilitar os itens da área de trabalho

Pois bem, colocaram também uma tal de Configurações Avançadas para você poder personalizar algumas coisas e uma dessas coisas é a opção de poder habilitar o que você deseja que seja mostrado na área de trabalho e até aí tudo bem, mas o estranho é você não conseguir ver já de cara nenhum arquivo ou pasta ou até mesmo colar algo em sua aŕea de trabalho sem que determinada opção esteja habilitada. Então vamos lá:

config_avancadasSe você observar bem, verá que é auto explicativo né? Quer mostrar a lixeira? Então deixa ligado a paradinha e por aí vai.

Ah! Bom lembrar que agora para enviar para lixeira ou excluir algo é Crtl + delete e Shift delete, respectivamente. Por que isso? Disseram que era por causa de segurança.

Pronto, tá aí bem mastigado.

observação: É bem provável que eu vá acrescentando coisas neste post que entender que são indispensáveis para a configuração do Debian.

fonte: http:mastigado.wordpress.com

Sobre Mastigado
Sou um daqueles que precisa mudar o mundo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: