Capturar apenas data de coluna Datetime no SQL Server

Hoje vou deixar um post bem curto para caso onde apenas é preciso somente pegar a data de uma coluna  do tipo datetime.

Vamos lá:

No SQL Server 2008 ou superior, você pode converter a data assim:


SELECT CONVERT(date,nome_da_sua_coluna_datetime)

Para versões antigas, você pode seguir desta forma:


SELECT DATEADD(dd, 0, DATEDIFF(dd, 0, @sua_data))

Por exemplo:


SELECT DATEADD(dd, 0, DATEDIFF(dd, 0, GETDATE()))

Vai te dar:


2008-09-22 00:00:00.000

Quais são os prós?

Você não precisa usar nada de varchar <-> apenas conversões de datetime são requeridas;
Você não precisa pensar nada sobre configurações de locale.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

fonte: http://stackoverflow.com/questions/113045/how-to-return-the-date-part-only-from-a-sql-server-datetime-datatype

Descobrir quais instâncias, conexões e usuários que estão conectados no servidor ou em determinado banco de dados no SQL Server

Olá pessoal!

Hoje vou deixar um dica para aqueles que precisam saber quem ou quais são os usuários que estão conectados no SQL Server seja em determinado banco ou na própria instância.

Pois bem, por ora deixarei apenas os comandos que podem ser utilizados para que você consiga obter estes resultados.

Para consultar o sysprocess e obter os logins e os hosts que estão conectados

select
      spid,
      status,
      hostname,
      program_name,
      cmd,
      dbid,
      convert(sysname, rtrim(loginame)) as loginname
   from
      master.dbo.sysprocesses with (nolock)

ou para maiores detalhes

sp_who

ou para ainda mais detalhes

sp_who2

Para consultar apenas os usuários e regras que estão conectados a partir de determinados hosts.


select distinct
      loginame=rtrim(loginame),hostname
   from master.dbo.sysprocesses
   where
      spid >= 0 and spid <= 32767

Para obter o número de conexões em determinados bancos de dados e quais usuários estão conectados a estes.


SELECT 
      DB_NAME(dbid) as DBName, 
      COUNT(dbid) as 'Number Of Connections',
       loginame as LoginName
   FROM sys.sysprocesses
   WHERE
      dbid > 0
   GROUP BY
      dbid, loginame

Tá aí então, mastigado.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

fonte: http://serverfault.com/questions/195939/how-can-i-see-who-is-connected-to-my-db

fonte: https://social.technet.microsoft.com/Forums/pt-BR/cc3f62c3-aa26-4e92-9de9-44c0972470da/como-saber-quais-usuarios-do-banco-de-dados-esto-conectados-ao-banco-de-dados-sql-server?forum=admingeralpt

fonte: http://forum.imasters.com.br/topic/289898-como-descobrir-usuarios-logados-no-banco/

fonte: https://planningit.wordpress.com/2010/09/10/descobrindo-usuarios-conectados-no-sql-server/

Como descobrir/exibir as instâncias do SQL Server instaladas

Olá pessoal.

Hoje vou reblogar um artigo que vi num blog e que me ajudou muito.

Recentemente, tive necessidade de criar uma lista de todas as instâncias de SQL Server na rede local. Lembrei-me que eu tinha escrito um script semelhante há um ano para localizar o SQL Server em rede. Quando eu olhei para ele, percebi que tinha escrito para o SQL Server 2000 e havia utilizado o utilitário isql, que está obsoleto agora. Então  rapidamente refiz o script atualizado usando sqlcmd. Lembrando que o comando osql ainda funciona no SQL Server 2008.

Mas antes de executar o comando, verifique os executáveis sqlcmd e osql estão dentro do caminho abaixo.

C:\Program Files\Microsoft SQL Server\100\Tools\Binn

E se estiverem, vá em Iniciar > Painel de Controle > Sistema > Propriedades Avançadas do Sistema > Variável de Ambiente e acrescente este caminho à variável PATH. E se não estiverem por lá, você vai ter de encontrar 🙂
Vá para o prompt de comando e digite osql -L ou sqlcmd -L.

sqlcmdl

fonte: https://mastigado.wordpress.com

fonte: http://blog.sqlauthority.com/2009/03/18/sql-server-find-all-servers-from-local-network-using-sqlcmd/

Instalando e Configurando o Maven no Eclipse para trabalhar com TDD utilizando Junit (para leigos)

Hello!

Hoje tenho que deixar uma configuração básica do Maven e Junit para rodarmos os nossos testes de TDD  (Test Driven Development). Bem, eu aproveitei e escrevi “para leigos” no final da chamada porque como muitos, me considero um leigo, sendo assim ser leigo é apenas um estado de espírito e isso diz tudo sobre o que sinto agora.

Percorri vários tutoriais na net e muitas vezes em que fui implementar os projetos do Maven com JUnit estava dando vários erros, então resolvi fazer um tutorial bem mastigado.

– Baixe o Maven no site do Maven.

Entre no link e baixe http://maven.apache.org a última versão do Maven.

conf01_apacha_maven

Eu decidi baixar a versão zip, portanto faça o mesmo.

– Descompactando o conteúdo do pacote

Descompacte o conteúdo do pacote para dentro de c:\ (no meu caso o Apache Maven está na versão 3.3.3, portanto saiba que esta versão pode variar). No meu caso ficou assim: c:\apache-maven-3.3.3.

– Configurando o Maven

No decorrer deste tutorial você deverá ver que baseei no passo a passo do Luiz Ricardo do site State of Art, mas fiz algumas modificações para ir somente ao que interessa para nós.

Crie um diretório chamado repositorio dentro da pasta c:\apache-maven-3.3.3.  E também pasta do Maven, existe um diretório chamado conf, pois bem, entre dentro dele, abra o arquivo settings.xml e descomente a linha onde está escrito <LocalRepository> e dentro dele coloque algo como está abaixo (lembrando que eu não sei qual será a versão do Maven que você está usando e por isso coloque do jeito que está escrito na sua pasta).


<localRepository>c:\apache-maven-3.3.3\repositorio</localRepository>

Segundo o site da referência, se é apenas um usuário que acessa determinada máquina não há problema em direcionar o repositório para um local em específico.

– Configurando as variáveis de ambiente

Pois bem, eu já escrevi um tutorial ensinando à todos como criar variáveis de ambiente no Linux e no Windows, portanto utilize o método do Windows contido neste tutorial, só que primeiro você deve criar uma usando o botão Novo (em Painel de Controle > Sistema > Configurações Avançadas do Sistema > Variáveis de Ambiente > Variáveis de Sistema > Novo)  e criar uma variável com o seguinte nome e conteúdo:

Onde está escrito Nome da Variável, M2_HOME e onde pede o Valor da Variável digite c:\apache-maven-3.3.3 que é o caminho de seu Apache Maven.

E agora sim, você pode seguir o tutorial de como configurar o Path da sua máquina a que me refiro logo acima, acrescentando o valor ;%M2_HOME%\bin ao final do Path do Windows.

Conferindo

Depois de ter feito o procedimento, abra o console do Windows (se for o terminal do Linux é bom reiniciar antes ou digitar /etc/source/profile de executar o comando) e digite mvn -version e verifique se está parecido como algo abaixo:

conf02_prompt

Na imagem acima dá pra ver mais ou menos o que vai aparecer para você.

– Configurando o Maven no Eclipse

Ao invés de ir até o Eclipse Marketplace, iremos em Help > Install New Software e coloco o endereço do repositório do Maven (http://download.eclipse.org/technology/m2e/releases):

conf03_repositoriomaven

E mando baixar. Se ele pedir para reiniciar, reinicie sempre.

– Configurando a instalação do Maven

Siga em Window > Preferences > Maven > Installations e na caixa onde está informada a versão do Maven já configurada no Eclipse, desmarque-a e clique em Add para adicionar o diretório que está instalado o nosso Maven.

conf04_repositoriomaven

Agora, em User Settings, altere o campo User Settings para o arquivo settings.xml que configuramos anteriormente.

conf05_usersettins

– Criando o nosso projeto Maven

Bem, para criar um projeto teste eu vou pegar o projeto da calculadora que meu professor fez (este código não é meu). Vamos lá, File > New > Other > Maven > Maven Project.

conf06_newproject

Marque para criarmos um projeto simples (Create a simple project).

conf07_newproject2

Agora, no quadro abaixo vou marcar da seguinte maneira:

  • Group Id: com.wordpress.mastigado
  • Artificat Id: calculadora
  • Name: Calculadora
  • Description: Calculadora teste para Maven

 

conf08_newproject3

Depois de criado o projeto, abra o arquivo pom.xml e adicione as linhas abaixo logo abaixo da tag description e salve o arquivo.


<dependencies>
       <dependency>
            <groupId>junit</groupId>
                    <artifactId>junit</artifactId>
                    <version>4.8.2</version>
            <scope>test</scope>
      </dependency>
 </dependencies>

 

conf09_pomxml

– Crie um pacote com o nome com.wordpress.mastigado.calculadora dentro de de src/main/java.

conf10_criacaopacote

E depois um chamado com.wordpress.mastigado.calculadora.test dentro de src/test/java.

conf11_criacaopacotetest

– Crie uma interface chamada Calculadora dentro de src/main/java.

conf12_criacaointerfaceEm seguida, coloque o código abaixo dentro da interface


package com.wordpress.mastigado.calculadora;

public interface Calculadora {
   public int soma (int primeiro, int segundo);
   public int subtracao (int primeiro, int segundo);
   public int multiplicacao (int valor, int vezes);
   public int divisao (int numerador, int divisor) throws ArithmeticException;
}

10º – Agora crie uma classe chamada AplCalculadora também dentro de src/main/java.


package com.wordpress.mastigado.calculadora;

public class AplCalculadora implements Calculadora {

  public int soma(int primeiro, int segundo) {
     return primeiro + segundo;
  }

  public int subtracao(int primeiro, int segundo) {
     return primeiro - segundo;
  }

  public int multiplicacao(int valor, int vezes) {
     return valor * vezes;
  }

  public int divisao(int numerador, int divisor) throws ArithmeticException { 

   if (divisor == 0) {
      throw new ArithmeticException("Divisão por zero");
   }

   return numerador / divisor;
 }
}

11º – Crie a classe CalculadoraTest.java dentro de src/test/java e coloque o conteúdo abaixo dentro dela.

package com.wordpress.mastigado.calculadora.test;

import com.wordpress.mastigado.calculadora.AplCalculadora;
import com.wordpress.mastigado.calculadora.Calculadora;

import org.junit.Assert;
import org.junit.Before;
import org.junit.Test;

public class CalculadoraTest {

private Calculadora calculadora;

 private final int VALOR1 = 10;
 private final int VALOR2 = 20;

 private final int VEZES = 10;

 private final int RESULTADOSOMA = 30;
 private final int RESULTADOMULT = 100;
 private final int RESULTADODIV = 2;

 private final int ZERO = 0;

 @Before
 public void before()
 {
    calculadora = new AplCalculadora();
 }

 @Test
 public void soma()
 {
    int resultado = calculadora.soma(VALOR1, VALOR2);
    //Verificando se o objeto não é nulo
    Assert.assertNotNull(resultado);
    //Verificando se a soma esta correta
    Assert.assertEquals(RESULTADOSOMA, resultado);
    //Verificando se o resultado é maior que 0
    Assert.assertFalse(resultado < 0);
 }

 @Test
 public void subtracao()
 {
    int resultado = calculadora.subtracao(VALOR2, VALOR1);
    //Verificando se o objeto não é nulo
    Assert.assertNotNull(resultado);
    //Verificando se a soma está correta
    Assert.assertEquals(VALOR1, resultado);
    //Verificando se o resultado é maior que 0
    Assert.assertFalse(resultado < 0);
 }

 @Test
 public void multiplicacao()
 {
    int resultado = calculadora.multiplicacao(VALOR1, VEZES);
    //Verificando se o objeto não é nulo
    Assert.assertNotNull(resultado);
    //Verificando se a soma está correta
    Assert.assertEquals(RESULTADOMULT, resultado);
    //Verificando se o resultado é maior que 0
    Assert.assertFalse(resultado < 0);
 }

 @Test
 public void multiplicacaoporzero()
 {
    int resultado = calculadora.multiplicacao(VALOR1, ZERO);
    //Verificando se o objeto não é nulo
    Assert.assertNotNull(resultado);
    //Verificando se a soma está correta
    Assert.assertEquals(ZERO, resultado);
    //Verificando se o resultado é maior que 0
    Assert.assertTrue(resultado == 0);
 }

 @Test
 public void divisao()
 {
    int resultado = calculadora.divisao(VALOR2, VALOR1);
    //Verificando se o objeto não é nulo
    Assert.assertNotNull(resultado);
    //Verificando se a soma está correta
    Assert.assertEquals(RESULTADODIV, resultado);
    //Verificando se o resultado é maior que 0
    Assert.assertFalse(resultado < 0);
 }

 @Test (expected = ArithmeticException.class)
 public void divisaoporzero()
 {
    calculadora.divisao(VALOR1, ZERO);
 } 

}

12º – Configurando o comando para seu JDK chamar o Maven.

Vá em Window > Preferences > Java > Installed JREs e clique em Add para adicionar a JDK do Java que irá compilar o seu projeto e em seguida, desmarque a JRE abaixo.
conf15_confmaven
Pois é, um dos erros que me perseguiu foi um parâmetro que eu não havia colocado e que está no screenshot acima. Ao marcar a JDK clique em Edit para adicionar a linha abaixo no campo Default VM arguments.

-Dmaven.multiModuleProjectDirectory=$M2_HOME

13º – E para finalizar, clique com botão direito em cima do seu projeto e em seguida Run As > JUnit Test.

conf16_junit

fonte: https://mastigado.wordpress.com

Sobre o plugin M2 para Eclipse

fonte: http://eclipse.org/m2e/index.html

Para maiores detalhes sobre o porque de seu utilizar o Maven consulte o blog abaixo.

fonte: http://luizricardo.org/2014/06/instalando-configurando-e-usando-o-maven-para-gerenciar-suas-dependencias-e-seus-projetos-java/

Como executar as ferramentas do Painel de Controle a partir de um usuário diferente

Olá para todos.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

Esta dica simples vai para quem precisa acessar alguns itens do Painel de Controle do Windows como um usuário diferente do que está logado.

Primeiro, dirija-se até o atalho do Prompt de Comando (que geralmente fica acessórios no Windows 7) e pressionando a tecla SHIFT, clique com o botão direito em cima do atalho e em seguida, clique na opção Executar como usuário diferente. Digite o login e senha do usuário que deseja e execute um dos comandos da lista abaixo:

  • Ferramenta do Painel de Controle Comando
    —————————————————————–
    Opções Acessibilidade access.cpl
    Adicionar/Remover Programas appwiz.cpl
    Propriedades de Data/Hora timedate.cpl
    Propriedades de Vídeo  desk.cpl
    Propriedades da Internet inetcpl.cpl
    Propriedades do Joystick joy.cpl
    Propriedades do Mouse main.cpl
    Propriedades de Multimídia mmsys.cpl
    Propriedades da Rede ncpa.cpl
    Propriedades de Senha password.cpl
    Gerenciamento de Energia powercfg.cpl
    Região e Idioma intl.cpl
    Scanners e Câmeras sticpl.cpl
    Propriedades do Sistema sysdm.cpl

fonte: https://support.microsoft.com/en-us/kb/192806/pt-br

fonte: https://mastigado.wordpress.com

Como quebrar a senha de usuário comum ou administrador no Windows 7 e Vista

Olá pessoal, tudo joinha (joinha é foda, eu acho um saco este negócio de joinha, me desculpe se você usa joinha)?

Hoje eu vou deixar uma dica para aqueles que precisam por vezes quebrar a senha de administrador do Windows 7 por aquelas coisas básicas que acontecem neste sistema operacional (“maravilhoso”). Eu precisei fazer isso porque houve a necessidade de ser virtualizar uma máquina no seu serviço que continha um sistema que precisa ser reescrito, que está obsoleto e que não poderia mais ficar ocupando um computador físico. Feita a virtualização, formataram este computador e retiram-no da árvore do AD, logo, quando tentamos acessar o virtualizado, nenhuma senha de rede permitia que logássemos novamente usando o controlador de domínio e para piorar, alguém esqueceu a senha do administrador. Pronto! Como entrar numa máquina como esta?

Bem, vou deixar alguns passos básicos que andei “colhendo” em uns blogs. Desta maneira que irei explicar é bom que você tenha um cd do Linux em mãos e que funcione o modo LIVE CD. Distribuições como Ubuntu sempre tem um LIVE CD.

observação (informação obtida em 30/03/2015): Recentemente “retestei” este método num outro Windows 7 e não funcionou. Imagino que deve ter sido por causa de alguma atualização da Microsoft que bloqueou o acesso ao prompt de comando na tela de login, mas ainda assim conseguimos quebrar a senha utilizando outro método. Agora, este outro método devo postar aqui depois.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

1º – Baixe uma ISO LiveCD de alguma distribuição GNU/Linux. Ubuntu por exemplo (é a mais “mamão com açúcar” distribuição Linux que conheço).

  1. Dê o boot pelo CD, na maioria dos PCs, basta apertar a tecla F12 (ou Del) na inicialização do sistema.
  2. Abra o modo onde você tem as acesso ao sistema de arquivos em modo gráfico e clique nas partições de Windows para montá-las;
  3. Abra o terminal e abra a sua partição onde o seu Windows está instalado e vá no diretório: diretorio_onde_esta_montada_a__sua_particao_windows\windows\system32;
  4. Dentro da pasta system32, renomeie o arquivo sethc para: sethcOLD.exe;
  5. Agora, vá até o arquivo cmd.exe, copie/cole e depois renomeie-o para: sethc.exe;

2º – Saia do Linux e entre novamente no Windows.

  1. Ao aparecer pedindo login e senha, pressione a tecla Shift cinco vezes seguidas.
  2. Quando o prompt do Windows abrir, digite command;
  3. Ao digite net user, ele irá listar todos os usuários do Windows para você;
  4. Agora, você pode ativar o usuário que deseja, caso ele esteja desabilitado com o comando net user nome_do_usuario /active:yes (para desabilitá-lo você pode usar active:false)
  5. Em seguida, você pode digitar net user nome_do_usuario nova_senha para alterar o password deste usuário;
  6. Você também pode usar o comando control userpasswords2 para alterar a senha caso prefira (ou caso não consiga da maneira acima);
  7. Agora você precisa desfazer as mudanças anteriores para impedir que alguém explore o mesmo truque e mude sua senha. Repita os passos 1 e 2 acima, e no Prompt de Comando digite copy /y c:\sethc.exe c:\windows\system32\sethc.exe e tecle Enter. Saia do prompt de comando e reinicie o computador.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

fonte: http://pcworld.com.br/dicas/2012/04/20/esqueceu-a-senha-do-windows-veja-como-reseta-la/

fonte: http://www.oficinadanet.com.br/artigo/1926/resetando_senha_de_administrador_no_vista_e_seven

fonte: http://www.vivaolinux.com.br/dica/Como-quebrar-senha-do-Windows-com-LiveCD-GNU-Linux

Mega Power Tutorial de instalação do OCS Inventory e do agente via política de grupo (GPO) no Active Directory

Olá pessoal! Hello World!

Hoje iremos configurar o OCS Inventory, que é utilizado para coletar informações de hardware e software contidas em sistemas operacionais de computadores em uma rede. Para quem não sabe, o OCS Inventory é um software de inventário que te dá informações para controle do que está instalado em determinado pc, qual ip ele está utilizando, quais os softwares que estão instalados nele e enfim, a solução OCS possui um conjunto de aplicativos que permitem visualizar informações importantes para quem trabalha na área de infra.

Pretendo neste tutorial mostrar como você deve implementar o ambiente do OCS Server em conjunto com os chamados “Agents”, que são aplicativos que ficam instalados nos computadores clientes e como configurar os Agents manualmente em cada estação ou distribuí-los via GPO.

Tentei deixar bem claro e mastigado este tutorial colhendo informações de várias fontes e pessoas que trabalham com a área de infra, pois o OCS é uma solução francesa e por isso algumas fontes de informação não estão nem em inglês, o que torna um desafio maior esta busca, ainda que o básico seja simples de fazer.

fonte: https://mastigado.wordpress.com

Reparti este tutorial em algumas partes (porque ficou meio grande):

  • A – Instalação do OCS Server;
  • B – Configuração do OCS Agente sem GPO;
  • C – Configurando o Agent do OCS para ser distribuído via GPO;
  • D – Configurando a sua GPO no Active Directory(AD);
  • E – Conferindo as configurações no OCS;
  • F – E agora, vamos conferir as configurações do Xampp;

Resumindo (PRESTE ATENÇÃO NISSO), você terá DUAS opções de instalação e configuração:

  1. Se você prefere instalar o OCS Agent manualmente, siga os passos A, B, E e F;
  2. Senão, se você quer que o seu OCS Agent seja instalado e atualizado automaticamente em todos os PCs da sua rede toda a vez em que um computador se logue no AD, siga os passo A, C, D, E e F;

Fiz desta maneira acima também porque talvez só te interesse acessar algumas partes dele. Mas é isso.

Vamos lá? let’s go Bob!

A – 1 – Vá até o site do OCS Inventory e baixe o OCS Server(http://www.ocsinventory-ng.org/en/download/download-server.html).

A – 2 – Baixou o bicho? Então dois cliques neste troço e siga adiante

 

A – 3 – Escolha a linguagem Português Brasileiro:ocs_passo_01
A – 4 – Ele vai jogar um aviso dizendo que o Xampp não está instalado no seu pc, mas ignore, tudo next, next, next.

ocs_passo_02A – 5 – Go, go, go!

ocs_passo_03A – 6 – Aceite a licença sem reclamar de nada e prossiga.

ocs_passo_04A -7 – Defina SE QUISER o diretório de instalação do bicho.

ocs_passo_05A – 8 – Caso você já tenha o Xampp em sua máquina aqui vai minha recomendação, desinstale o que você tem e deixe marcado tudo o que tem aí e prossiga. Não tenha dor de cabeça.

ocs_passo_06A – 9 – Avance também nisso aí.

ocs_passo_07A – 10 – Para configurar o Xampp no prompt de comando continue pressionando a teclar Enter.

ocs_passo_08A – 11 – Mais uma vez, prossiga.

ocs_passo_09A – 12 – Pronto, clique em terminar e vamos mandar brasa.

ocs_passo_11

Configurando Apache e MySQL como serviço do Windows

Gente, para deixar o MySQL e o Apache como serviço, de preferência, pare os dois serviços que estão rodando (dê um Stop) e depois marque o checkbox Svc como está na figura e confira no Services do Windows. Faça isso tanto com o Apache, quanto o MySQL. E para desinstalar como serviço, pare os serviços que você está utilizando (de preferência) e desmarque o Svc do Apache e do MySQL que os serviços serão desinstalados.

01_config_porta_servicoCaso o serviço do Apache não seja iniciado (Se seu Apache iniciou sem problema, pule para o passo A – 13)

Pode acontecer de o serviço do Apache não iniciar mesmo você apertando aquele botão Start mil vezes seguidas. Se isso acontecer você pode verificar quais as portas estão em uso no seu computador, pois o Apache utiliza a porta 80 e que por vezes pode já estar sendo utilizada. Para verificar isso, abra o prompt e digite netstat -a

02_portas_netstatComo você pode ver na imagem acima, a porta 80 já está ocupada e o que faremos é alterar a porta que o Apache irá utilizar dentro de suas configurações. Bem, no meu caso, abri o arquivo(httpd.conf) que está no caminho C:\xampp\apache\conf e alterei onde está escreito Listen 80 para Listen 83 e reiniciei o Apache (não se preocupe se no Xampp ele mostra a porta 80 mesmo você tendo alterado a porta). Após reiniciado ou iniciado o Apache, digite novamente o comando netstat -a e confira.

02_novas_portas_netstat_usa

A – 13 – Após iniciar o Xampp no navegador, marque o a opção Português (Brasil) para prosseguir.

ocs_passo_12A -14 – Pronto, agora pode pular para a instalação do banco de dados do OCS.

ocs_passo_13A -15 – Depois que você entrou no Xampp usando o navegador, digite http://localhost/ocsreports.

ocs_passo_14

A – 16 – Você verá nesta tela alguns avisos do PHP pedindo para que você altere algumas configurações, mas ignore por enquanto e prossiga na instalação.

  • O login do MySQL padrão é sempre root.
  • O password dele não existe nesta configuração de Xampp, portanto deixe em branco;
  • O nome da base de dados é oscweb, portanto mantenha gravado isso aí;
  • E o nome ou endereço do servidor de banco de dados (caso for local) será qualquer_nome.

ocs_passo_15

A – 17 – Apesar de não existir este banco de dados chamado ocsweb ele irá criar tudo isso automaticamente após você digitar as configurações acima.

ocs_passo_16A – 18 – Agora digite no User, admin e no Password, admin.

ocs_passo_17

Lendas da Net

Diz uma lenda escrita num post de um fórum, que para o OCS Server reconhecer o Agent, você deve instalar sempre uma versão abaixo do Agent em referência ao OCS Server (um exemplo seria instalar o Server na versão 2.1.1 e o Agent na versão 2.0.5).

B – Configuração do OCS Agente sem GPO

Agora, fazendo a instalação do agente sem utilizar a GPO para replicar nas máquinas. Portanto aconselho só utilizar este tipo de instalação caso não utilizar GPO. Resumindo, se você não precisa utilizar GPO e prefere instalar o cliente do OCS em cada máquina manualmente, pule os passos C e D, senão pule o passo B, vá direto para o C e siga adiante.

B – 1 – Este primeiro passo é bem basicão, clique em Next!

ocs_agent_passo_01

B – 2 – Sim, pode prosseguir porque você tem que aceitar o termo de licença.

ocs_agent_passo_02

B – 3 – Neste 3º passo, deixe como está e bola pra frente. Prossiga.

ocs_agent_passo_03

B – 4 – Este passo é importantíssimo. Pois caso você altere a porta do Apache no Xampp (explicarei mais a frente como fazer tal procedimento), é necessário informar qual será a porta dele aí.

Pois bem, na figura abaixo você só deve informar o endereço IP do seu servidor, mas se for preciso informar também a porta, ficaria algo assim http://192.168.12.25:83/ocsinventory, sacaram? Estou tomando por base que você tenha alterado a porta do Apache para 83, mas no caso abaixo, a porta não foi alterada portanto ela é padrão 80 e por isso não precisa ser informada, mas eu irei trabalhar com o OCS na porta 83 no restante do tutorial.

ocs_agent_passo_04

B – 5 – Meu caro, se você tiver de usar algum tipo de proxy este aqui é o local onde você deverá configurá-lo, caso contrário, apenas avance.

ocs_agent_passo_05

B – 6 – Deixe marcado apenas a última opção, pois quando terminar de instalar, a aplicação irá iniciar “sozinhamente“.

ocs_agent_passo_06

B – 7 – E pronto! É só clicar em install agora e mandar brasa (mandar brasa é foda né? Deve ser tipo fazer um churrasco, só pode, pois não vejo menor sentido em mandar brasa).

ocs_agent_passo_07

C – Configurando o Agent do OCS para ser distribuído via GPO.

Aqui, vamo preparando a instalação do Agent para ser espalhada nas máquinas via GPO(Preparação do OCS Packager). Com este tipo de instalação do Agent você não irá precisar ir em computador por computador instalar o cliente, mas lembre-se, você tem que ter um Active Directory (AD) para fazer isso, senão, nada feito.

C – 1 – Antes de preparar o OCS Packager eu baixei um tal de PS Tools (lembrando que eu baixei este cara no site do OCS), descompactei numa pasta e coloquei o executável OCS Packager lá dentro, porque próprio instalador manda você colocar o OCS Packager dentro do mesmo diretório que contém o executável PsExec.exe e exibe este aviso aí em baixo SE VOCÊ NÃO FIZER ESTE PROCEDIMENTO.

aviso_pssecMas, como não queremos ir de encontro ao aviso do programa, faremos isso e colocaremos o executável do OCS Packager lá dentro da pastinha do PS Tools como na figura abaixo. Quem quiser saber mais sobre o que faz o PS Tools, entre no site do usuário avançado porque tem um excelente artigo sobre isso lá.

package_install_gpo_00

C – 2 – Na preparação da configuração do Agent na GPO, eu utilizei a tese do carinha de um fórum que dizia que se o OCS Server tivesse uma versão x, o agent das máquinas deveria ser de uma versão anterior, em outras palavras, eu instalei o OCS Server na versão 2.1.1.1 e o agent das máquinas instalei na versão 2.0.5. Por isso preste atenção, não significa que não funcione o agent na mesma versão do server, mas quando fui instalar usando a GPO, só consegui fazer funcionar deste jeito (agent com versão menor que o do server), então tenha em mente que você pode tentar outros tipos de instalação se preferir assim.

package_install_gpo_01

O que eu fiz na imagem acima?

  • Em Agent Setup file, coloquei o meu OCS Agent de uma versão anterior a do servidor;
  • Em Certificate file eu percebi que tinha que gerar este cara e para isso precisava de SSL no servidor, mas como eu entendi que não precisava disso para o tipo de instalação que iria usar, deixei em branco;
  • Em Plugins to include também não coloquei nada;
  • Em Comand line options eu coloquei a linha abaixo:
  • /S /NOW /SERVER=http://192.168.12.25:83/ocsinventory /NP /INSTALL /DEBUG /FORCE
  • Aonde 192.168.12.25 é o ip do servidor onde está a minha aplicação OCS Server e 83 é a porta em que ela está rodando, pois eu alterei o padrão 80 para 83, então entenda que se você usa a porta padrão 80 (ou seja, não alterou porta alguma) você não precisa deste :83, apenas deixe sem, deste jeito para ser mais exato:
  • /S /NOW /SERVER=http://192.168.12.25/ocsinventory /NP /INSTALL /DEBUG /FORCE

Entendeu? Bem, tá bem mastigado.

Agora, em Label eu também não coloquei nada. Pensei comigo para que colocar algo aí? Então eu não coloquei.

Em User coloquei o nome de um usuário admin do ad junto com o nome do domínio, tipo assim:

usuario_admin_do_ad@meudominioquerido

Em Password digitei a senha do usuário acima.

 

D – Configurando a sua GPO no Active Directory(AD)

Vou tentar ser bem básico, para aqueles que como eu, são leigos.

D – 1 – Primeiro, criaremos uma Unidade Organizacional para que possamos fazer um teste de nossa nova GPO. Você deve abrir o seu Active Directory, clicar com o botão direito em Recursos >  New > Organizational Unit.

01_criando_novo_grupo_no_reD -2 – Em seguida, dê um nome para este novo recurso. Eu vou chamá-lo de TESTEGPO.

02_grupo_test_gpoD -3 – Agora que você tem um recurso chamado de TESTEGPO, escolha um computador na sua lista de computadores do seu domínio (os meus pcs estão dentro de RECURSOS > COMPUTADORES) e clique com o botão direito em cima dele. Em seguida, clique em Move.

03_movendo_pc_para_nova_orgD – 4 – E escolha o recurso TESTEGPO para onde você irá mover este pc que foi selecionado.

04_mover_pc_para_nova_organD -5 – Em seguida, clique no menu Iniciar > Admnistrative Tools > Group Policy Management (GPO :p)

05_group_policy_managementD – 6 – Agora, clique com o botão direito em cima de Group Policy Objects e no menu que se abrirá, clique New para uma nova política de grupo de objeto.

06_criando_nova_gpoD – 7 – Eu defini o nome desta GPO como SET-OCS-CONFIG, mas fique à vontade em colocar o nome que você quiser.

07_set_ocs_configD – 8 – Agora, dentro da pasta RECURSOS, cliquemos com o botão direito em cima do recurso TESTEGPO que criamos para “linkarmos” com a GPO que acabamos de criar. No menu que se abrirá escolha a opção Link an Existing GPO.

08_linkar_uma_gpo_existenteD – 9 – Encontre a GPO chamada de SET-OCS-CONFIG que acabamos de criar e clique em OK.

09_escolhendo_gpo_para_linkD – 10 – Clique em cima deste link que foi criado e você verá ao seu lado direito sua configurações.

10_gpo_linkadasD – 11 – Agora, com o botão o direito, clique em cima do link criado e em seguida em Edit.

11_editar_gpoD – 12 – E na nova janela que se abrirá, expanda Policies > Windows Setting > Scripts (Start/Shutdown) e dê dois clique em cima de Startup (no lado direito da tela). Agora, você clicará no botão Add e em seguida no botão Browse da janela que se abrirá.

12_scritps_inicializacaoD – 13 – Em seguida, você irá procurar por aquele maravilhoso pacote do OCS que criamos só para a nossa GPO.

13_pasta_netlogonD – 14 – E irá selecioná-lo.

14_escolhendo_executavel_naD – 15 – Feito o processo da seleção do arquivo, coloque os parâmetros install /np em Script Parameters. Agora, é bom que você saiba que o seu pacote OCS deverá ficar em um local que deve ser visível para todos da rede, mais especificamente que todas as máquinas da rede consigam ler este arquivo, pois caso contrário você não conseguirá instalá-lo em todas as máquinas, compreende-me? Quero dizer que esta pastinha linda onde fica este executável deverá estar compartilhada. Feito isso, dê OK na janela.

15_adicionando_parametro_aoD – 16 – Agora, dê OK nesta janela aí também.

16_aplicando_config_gpoD – 17 – E para finalizar, clique com o botão direito em cima do seu link de sua GPO e marque a opção Enforced.

17_enforced_gpo

Pronto! Tem que funcionar assim.

D – Conferindo e testando a GPO.

My friends! Depois de ter configurado o package do OCS e sua GPOzinha linda, vamos testar para ver se o seu cliente vai pegar pegar mesmo este pacote.

D – 1 – Veja, você pode abrir  o prompt no seu cliente que está marcado no seu AD para receber a regra da GPO que criamos e digitar o comando gupdate /force para forçar a atualização das políticas do controlador de domínio a que está submetido.

01_atualizando_diretiva

D – 2 – Em seguida, você pode executar o comando gpresult /r e conferir para ver se realmente o cliente Windows pegou a regra que criamos. Tem que ter algo como no quadro abaixo.

03_conferindo_diretiva_grup

D – 3 – Bem, se a GPO SET-OCS-CONFIG estiver como na figura acima, parabéns! Você realmente sabe minimamente configurar uma GPO, senão, sorry. Refaça seus passos se você não tiver tido êxito até aqui. Se você quiser conferir no Serviço do Windows se estiver lá, é bom.

04_conferindo_no_servico

D – 4 – Agora, você pode reiniciar a sua máquina para a sua estação informar ao OCS que já tem o cliente instalado assim que ela reiniciar.

03_reiniciando_o_cliente

E – Conferindo as configurações no OCS

E – 1 – Agora que você já sabe que o OCS client foi instalado com sucesso na sua estação cliente, configura no OCS Server para ver como vão as coisas por lá. Clique lá no canto superior esquerdo da tela para conferir quantos pcs estão aparecendo.

01_pos_instalacao_configs 02_conferindo_novo_computadE – 2 – Feito isso, confira se o pc é mesmo o que você instalou e pronto, tá tudo ok.

02_conferindo_novo_computad

F – E agora, vamos conferir as configurações do Xampp

F – 1 – Entrem no diretório do Xampp. Aqui, como usei a porta 83, fica algo como http://localhost:83/security e ali, verifique como estão as configurações.

01_xampp_config

F – 2 – Logo abaixo, coloque uma senha para o usuário root (pois ela não existe ainda).

02_xampp+config

F – 3 – Em seguida, entre no OCS Reports e o observe que o sistema está avisando que o script de instalação do OCS continua existindo no diretório do Apache, a base de dados chamada ocsweb ainda está com o usuário padrão de instalação e o usuário admin do OCS ainda está configurado da mesma maneira em que foi instalado. E você terá de alterar isso.

03_xampp_config

F – 4 – Primeiro, começaremos a renomear o script de instalação do OCS (ou deletá-lo), faça o quiser, mas não deixe como está. Entre no diretório ocsreports que está dentro da pasta htdocs do Xampp e renomeie o arquivo install.php para como na figura abaixo.

04_rename_install_php

F – 5 – Bem, já diminuímos uma mensagem, vamos prosseguir, altere a senha do admin do OCS dentro do aplicativo OCS Server.

05_default_login_on_databas

F – 6 – Pronto, depois de alterado, mais uma mensagem foi embora. Let’s go.

06_update_pass_admin

F – 7 – Entre no endereço onde se encontra o seu PHPMyAdmin, digitando algo como http://localhost:83/phpmyadmin no seu navegador. Clique em Privilégios e em seguida Adicionar Novo Usuário. Crie um usuário com o nome de ocsuser e no password, oquevocequiser.

07_change_pass_mysql

F – 8 – Selecione o usuário que você criou (ocsuser) e clique em editar privilégios.

08_mysql_privileges

F – 9 – Adicione privilégios no banco Banco de Dados ocsweb.

09_select_database_on_mysql

F – 10 – Marque todos os privilégios para este usuário.

10_update_privileges

F – 11 – Vá no arquivo dbconfig.inc.php que está dentro da pasta ocsreports, que está dentro da pasta htdocs do seu diretório do Xampp, abra-o e comente as linhas que definem o usuário e senha do OCS, replique-as e deixe como está na figura abaixo. Aquela senha que você colocou o que você achou melhor, vai entrar no lugar de onde está escrito minha_senha_maravilhosa. Lembrando que eu só pedi para comentar a linhas para caso der algum pau.

11_update_pass_on_ocs

F – 12 –  As linhas 26 e 27 do arquivo ocsinventory-server.conf que está dentro da pasta extra, que está dentro da pasta conf do Apache do Xampp tem que ficar da forma como está escrito abaixo. O local do arquivo (se você instalou o Xampp no C:) é C:\xampp\apache\conf\extra\ocsinventory-server.conf.

12_update_pass_on_ocs_serve

F – 13 – Feito isso, se você quiser deletar os seus usuários ocs antigos que estão dentro do PhpMyAdmin, fique à vontade. Vai, delete.

13_remove_user_default

Bem gente, acho que agora fechou.

fonte: mastigado.wordpress.com

fonte: http://tidocumentar.blogspot.com.br/2013/04/ocs-inventory-tutorial-windows.html

%d blogueiros gostam disto: